BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

domingo, dezembro 6

Pedro

Pedro é infeliz.
É isso que ele diz quando você pergunta a ele como se sente. Ele diz que se sente infeliz.
Quando era criança, Pedro não gostava de brincar com os outros meninos de futebol, de lutinha, nem de qualquer outra coisa que os outros meninos gostassem.
Pedro quando criança não tinha amigas, perto de sua casa não morava nenhuma e na escola ele tinha vergonha de se aproximar delas. Pedro passava muito tempo sozinho. 
Mas quando criança gostava de desenhar. Ele desenhava pessoas e roupas. Era o que ele gostava de fazer. 
Aos 12 anos, os poucos meninos com quem tinha amizade, começaram a se interessar pelas meninas, a mecher com elas e dizer que elas tinham a bunda grande ou pequena, mas Pedro não reparava nisso, na verdade Pedro nem pensava nessas coisas, e de saco cheio começou a fazer amizade com as meninas.
Aos 14 anos, Pedro deu o seu primeiro beijo em uma menina da escola, mais ele achou nojento. Um tempo depois, começou a perceber que achava os meninos bonitos, e pensava bem escondido com ele mesmo que tinha vontade mesmo era de beijar um de seus ex-amigos. Os colegas de classe diziam que ele era um pouco "fruta". A avó disse para a mãe que achava aquele menino esquizito. 
Entre os 16 e 17 anos, Pedro entendia tudo o que as suas amigas (que eram muitas) diziam, dava conselhos a elas. Um dia quando estavam em uma boate, conheçeu Paulo. Paulo também gostava de meninos e gostou muito de Pedro. Foi a primeira vez que Pedro beijou um menino. Dai para frente, sempre se encontrava com Paulo, e se sentia muito feliz com isso. Queria contar para a mãe, mas tinha medo da reação dela, principalmente quando a ouvia insistir para que o menino arrumasse uma namorada. 
Pedro não contou para a mãe, não contou para o pai, nem para a avó, nem para as amigas. Ele nunca teve coragem, e sabia que nunca teria. Paulo e posteriormente eu eramos os únicos que sabiam.
A pressão dentro de sua casa aumentou, sua mãe praticamente o rastreava, ligava a todo momento, e quando suas amigas iam na casa dele, o pai logo perguntava se aquela era sua namorada. Pedro ria e dizia que não.
Um dia, quando não aguentava mais as cobranças da família, decidiu terminar o seu namoro com Paulo. Ele o amava muito, de verdade, mas não suportava mais aquela situação. Pedro chorou muito, Paulo também.
Pedro se separou da turma das meninas, começou a andar de novo com os meninos, e em um dia desses conheçeu Alice.
Alice era uma menina linda e sensível. Começaram a namorar, a família dele ficou feliz, Alice o amava mais do que tudo em sua vida, porque ele sempre a entendia, era gentil e tinha uma pureza incrível nos olhos.
Os anos se apassaram e Pedro se casou com Alice.
É por isso que quando eu pergunto ao meu melhor amigo, Pedro como ele se sente, ele me diz que se sente infeliz, e que por todos os dias de sua vida vai ter um nó em sua garganta e um amor secreto por um homem chamado Paulo, com quem mantém contato até hoje, nas noites em que sua mulher não estava por perto, era para Paulo que ele ligava, mais nunca mais se viram novamente.

2 Espantos:

Kaique disse...

Oo amr no começo axei ki vc tava falando ate do antonia kkkkk
e brink´s xD

Mas muito fera o testo apesar di naum se o meu caso kkkk mas axo ki talves represente a realidade de muitas pessoas

Felipee disse...

Hilário ! kkkkkkkkkkkkkkkk'